Lavaredo


sábado, 7 de abril de 2018

DEVER CUMPRIDO!


Em Fevereiro de 2018, convidei dois amigos (Zé Pereira e Fernanda Esteves) para me acompanharem num evento em Itália, sendo de imediato aceite. Trata-se do Tor des Geantes Starter, TOTDRET.

Sem pretender subestimar os outros eventos, quero dizer que este ultra trail será, é, o mais duro que conheço. São 134 km com mais de 12.000 D+, com passagem por nove picos com altitudes entre 1.700 e 3.000 m de altitude, havendo distâncias razoáveis onde se corre continuamente nos 2.300 m (o UTMB por exemplo, são mais 35 km mas menos 2.000 m D+, não "andando" pelas altitudes que o TOTDRET anda). 

Sem nenhuma publicidade iniciamos a preparação ainda durante o mês de Fevereiro. Eu e a Fernanda aqui pela Serra de Arga e arredores, o Zé Pereira não fez qualquer preparação...

Estabeleci um plano de treinos que cumprimos escrupulosamente. Bastante difícil diga-se de passagem, mas ficamos em excelente condição física para que o objectivo de ser finalista se concretizasse.
Entre meados de Fevereiro e 6 de Setembro, corremos mais de 1800 Km em mais de 311 horas.

O dia 11 de Setembro chegou, o evento se iniciou e nós lá estava-mos à partida, com a plena convicção que iria-mos ser finalistas.

Como nunca tive problemas com a altitude, nunca pusemos a hipótese de que a Fernanda pudesse vir a ter. No entanto ainda pensamos fazer uns treinos nos Picos da Europa, para testar a reacção física da Fernanda. O projecto foi abandonado por falta de patrocínio...

Até cerca de 2.000 metros de altitude (6.5 km após a partida), tudo correu bem à Fernanda. A partir dessa altitude, à medida que se subia, os problemas (da Fernanda) aumentavam. Depois dos 2.200 metros, as náuseas, as tonturas e os vómitos eram constantes e ainda teria-mos que ultrapassar os 2.777 m altitude do Col de Printer. Foi um autentico martírio essa ultrapassagem.
Aí começou uma longa descida até ao refugio de Champoluc, km 15.9 em cerca de 7,5 horas.

Como não havia condições para continuar, a Fernanda sabiamente optou por terminar ali a sua participação.

Eu segui e como estava absolutamente e totalmente bem, tive uma réstia de esperança de conseguir ultrapassar o ponto de corte situado em Cretaz (Valtournenche) km 35.6 km. Mas para lá chegar, teria que subir dois col (Nanaz 2.773 m e Fontaines 2696 m). Corri muito, mas não "deu"... Tinha-mos 11 horas para chegar ma essa barreira horária. Como nos primeiros 15.9 km gastamos 7,5 horas, restaram-me 3,5 horas para fazer  os 19,7 km restantes. Cheguei 35 minutos após o tempo limite, e barraram-me. Argumentei que me atrasei por ter que prestar auxílio a uma atleta, mas como já tinham lido a pulseira digital, o tempo já estava na base de dados, não poderiam abrir excepção.

Fiquei triste por um lado, por não ter terminado quando tudo apontava para tal, mas muito SATISFEITO e feliz por ter ajudado uma atleta que estava em grandes dificuldades em plenos Alpes.
CUMPRI O MEU DEVER!
O Zé Pereira, homem excepcional e de uma força invulgar, atingiu a meta situada em Courmayeur em 9º lugar da geral.

Teve uma quebra na parte final (era de esperar porque não fez a mínima preparação). Andou até 20 km da meta em 4º lugar, sendo nessa altura ultrapassado por 5 atletas.
O Zé, se tivesse feito uma preparação adquada, não duvido um só instante que seria o grande vencedor do TOTDRET. Parabéns Zé pelo excelente 9º lugar, parabéns Fernanda pelo descerimento de desistires, e parabéns a mim pelo DEVER CUMPRIDO.

Para o ano provavelmente lá estaremos os três!

Quim Sampaio - Ultra Trailer
16/09/2018

Sem comentários:

Enviar um comentário