Lavaredo


quarta-feira, 4 de abril de 2018

PLANOS FUTUROS, MUITO COMPLICADO! 
Clica para aumentar
   No início do ano planei o que pretendia que fosse o meu “ano desportivo”. Entre outros eventos iria fazer para além do Trail de Gondar e Orbacém – Rota das Capelas do qual era “Padrinho”, o PGTA 8 dias, a Serra Amar(Ela) 48 km e a Serra da Freita.

Clica para aumentar
Pretendia, mas não aconteceu. E não aconteceu por causa do malfadado dia 13  Sexta Feira do mês de Abri. Nesse dia malvado, quando estava a acabar a marcação do trail de Gondar, aconteceu aquele contratempo da perna/pé partido que levou à intervenção cirúrgica dois dias depois

A dor provocada pela fractura, apesar de intensa ignorei-a. E ignorei-a porque a dor é "psicológica". O que me desesperou foi a impossibilidade de fazer o PGTA e os 48km da Serra Amar(Ela). Penso que só havia dois atletas que eram totalistas do PGTA. Eu e o Gerson Silveira. Um deles já ficou pelo caminho…

Clica para aumentar
Quanto à Serra Amar(Ela), com a persistência própria de um “adolescente”, com mais ou menos dor, consegui fazer de “vassoura” em companhia da Gi dos 23 km. Deu para “desaguar”…

Então vamos falar falar um pouquito dos 23 km’s. Conhecia integralmente o percurso desde a partida em Ambos-os-Rios até Paradela, desconhecendo totalmente de Paradela até entre Ambos-os-Rios.

Clica para aumentar
A parte que conhecia, é extraordinária! Tem de tudo: bosque, curso de água, se estivesse em África savana, terreno plano e uma primeira grande subida que nos levou a Ermida, Aldeia linda, totalmente serrana, bem encrostada na vertente Norte da Serra Amarela. Após uma descida em estrada, mais uma subida por um trilho lindíssimo e técnico que termina lá no alto próximo de Germil. De Cabril a Paradela, uma descida compridita por trilho, desembocando numa pequena mas bem acentuado subida que teve que ser vencida.

Clica para aumentar
Logo após o abastecimento de Paradela, entramos então naquele que é o percurso mágico de todas as distâncias da Serra Amar(Ela)SkyMarathon! Cerca de 4 km’s de trilhos “virgens” que são do outro Mundo. As frequentes trocas de margem, com ou sem ajuda de cordas, a elevação também com a ajuda das mesmas, deixaram-me extasiado. Deixaram a mim e a todas as pessoas com quem falei. De acordo com elas, estarão presentes para o ano e trarão ainda um amigo/a com eles..

Cheguei ao final um pouco incomodado com a “dor” persistente que a partir dos 10 km’s me acompanhou até final, mas valeu a pena! Sei o trabalho enormíssimo que o Carlos Sá e seu STAFF tiveram para pôr esse evento em pé. Não foi fácil, mas valeu a pena. Acredito sinceramente que com alguma promoção/publicidade se tornará no expoente máximo do trail em Portugal. Sucesso garantido.

Parabéns, Carlos Sá















Quim Sampaio – UltraTrailer

21/06/2018

1 comentário:

  1. excelente amigo joaquim sampaio outras oportunidades surgiram bjs

    ResponderEliminar