Lavaredo


quinta-feira, 22 de março de 2018

SERÁ QUE NUM FUTURO VAMOS TER “VELHINHOS” A FAZER ULTRA TRAIL’S?


Partida Torre/Piódão
Depois de muito ver e ler através das redes sociais centenas de Ultra Trail’s e milhares de fotos dos mesmos, levou-me a interrogar se daqui a alguns anos vamos ter a correr por esses montes algum dos chamados ”velhinhos”.

Esta interrogação deve-se a constactar que cada vez são mais novos os atletas que fazem 100Km ou mais e ainda mais preocupante o espaço temporal que levam a essas distâncias.

Chegada TransEstrela
O trail “é giro, está na moda, vamos lá fazer um Ultra”. Há quem comece hoje a correr e, 4 ou 5 meses depois, aí estão à partida de uma distância de 3 dígitos!!!…

Recordo-me que quando em 1986 comecei a correr, durante 5 meses o treinador não permitia que corresse mais que 10 km e os treinos nunca poderiam ultrapassar 1 hora. Ao fim de 5 meses começou por permitir mais tempo de treino, chegando à 1h30 e aos 15 km de prova. Andei durante bastante tempo a correr montanha na “clandestinidade”… e a distância máxima eram 20 km, havendo apenas duas provas anuais que ultrapassavam essa distância: Torre Piódão (31 km) e TransEstrela (51 km)!

Torre/Piódão
Foram muitas dezenas de meias maratonas de estrada e maratonas de montanha, até fazer uma ultra de 100 km! Passaram-se 16 anos. 16 anos de endurance para que tivesse terminado os 100 km cumprindo os objectivos que me tinha proposto.

Em face do exposto, leva-me a concluir (ou não) que quando o Quim Sampaio, o Carlos Natividade Silva, o Jorge Serrazina, o Vitorino Coragem Coragem, o Rui Pedras, a Célia Azenha, a Glória Serrazina, a Fernanda Esteves e outros mais “arrumarem as botas", se voltaremos a ter “velhinhos(as)” a calcorrearem esses trilhos pelos montes e vales deste País.

TransEstrela após 51 km



Quim Sampaio
Ultratrailer

3 Novembro 2017

Sem comentários:

Enviar um comentário