Lavaredo


quinta-feira, 23 de março de 2017

Gerês Extreme Marathon

Extreme Geres Marathon - Finisher
Desde o passado dia 1 de Setembro que a minha vida de Atleta sofreu uma volta de 180º.

Mesmo sem ter a mínima certeza que iria ter acesso ao Tor des Geants, no dia 1 de Janeiro iniciei a preparação específica para esse evento. Tudo correu de acordo com o planeado até Agosto.

Foram mais de 3.500 km de montanha. Durante o mês de Agosto, a preparação continuou também dentro do programado.

No treino do dia 1 de Setembro, a 9 dias do início do grande evento, sofri uma ruptura grau 2 no gémeo esquerdo. Foram 7 dias de descanso e intensa fisioterapia.

Quero abrir aqui um parêntesis e agradecer publicamente à Terapeuta Natália Amoedo que teve um trabalho fantástico e dedicação no sentido de “colar o músculo roto”, mas isso só é inteiramente possível com o tempo e tempo era o que não havia, mas não desistiu.
Os 4 Tugas no TdG

Não desistiu ela e não desisti eu e no dia 10 de Setembro lá estava à partida (asneira) e à contagem zero eu, Carlos Sá, César Duarte, Paulo Rodrigues, mais 800 e tal atletas lá fomos montanha acima. Não durou muito. Chegado ao 1º Suporte Base de Vida (52km) encostei às boxes…

Resultado, tive que antecipar o regresso a Portugal e recomeçar com a fisioterapia. E a lesão grau2, passou a 3…

Valgrisenche 1º SBV, já com perna "nova"
Parado novamente, assim me mantive até 18 de Novembro. Nesse dia, fiz um treininho com bastante medo e como nada me doeu, fiz mais 4 já sem receio. Diz o ditado que um azar nunca vem sozinho, Domingo dia 27, uma súbita gastroenterite obrigou-me a fazer uma visita ao hospital passando a noite a soro. Como a “coisa” continuava “descontrolada”, dia 28 mais uma nova visita ao hospital…. Resultado de Segunda feira até Sexta, não comi nada e tudo que bebia saía pelos “dois lados”… perdi um pouco mais que 3 kilos mas no dia 2 de Dezembro lá estava à partida (sem conseguir comer nada ao pequeno almoço e durante a prova apenas em dois abastecimentos bebi um copo de xá) para fazer os 42 km da Gerês Extreme Maratthon.

Fui o ÚLTIMO Atleta a cortar a linha de meta, mas com muito ORGULHO!

Consegui, sofri muito ao longo de cerca de 6 horas e meia, mas cheguei ao fim! De mais de 400 à partida, cheguei em 314 quer dizer que muitos houve que desistiram…

Até para o ano Carlos Sá.

3 Dezembro 2017


Quim Sampaio - Ultratrailer

1 comentário: