Lavaredo


terça-feira, 14 de julho de 2015


A MINHA AVENTURA INCOMPLETA NO Tór des Geants 2014!

Courmayeur
Clica para aumentar
No dia 5 de Setembro, na companhia do Pedro Igor, apanhei o avião no aeroporto do Porto e lá fomos a caminho de Genebra (Suíça). Um Fiat 500 estava à nossa espera para nos levar a Courmayeur (Itália).

Sendo hora de jantar, fizemo-lo no caminho. Um pequeno desvio (1 km) e jantamos em Chamonix, “capital” do Trail Mundial. Depois foi só atravessar o túnel de Mont-Blanc. Do outro lado começa a Itália e situa-se a cidade de destino: Courmayeur.

No dia seguinte Sábado 6, foi seleccionar todo o material obrigatório para ser vistoriado no levantamento do dorsal. Nada, absolutamente nada, podia faltar.

Passamos cerca de 3 horas na fila ouvindo conversações em vários idiomas (64 países presentes), até que chegou a nossa vez. Depois de tudo ok, foi-me entregue o dorsal 1077 e o respectivo saco para transporte do material obrigatório.

Col Arp
Clica para aumentar
De regresso à residencial, foi uma azáfama nos preparativos finais. Do que iria levar na mochila, nada poderia ficar para trás. Tudo poderia vir a fazer falta.

Deitar cedinho, foi a opção. A noite (contrariamente a muitas noites nos últimos dois meses em que só dormia até às 4h da manhã), foi num único sono até às 08h.

La Thuili
Clica para aumentar
9h30, entrada para o controle zero. Depressa chegaram as 10h, porque a festa era enorme! A contagem decrescente chegou, e lá fomos nós durante 2Km de ruas e estrada planas cheias de “chocalhos”, muita música, muitos aplausos, entrando finalmente no monte. A “coisa” ia começar a doer…

Nos 1ºs 50 Km, temos que atravessar 3 Col’s: Arp (2571m),  Haut Pas (2857m) e Crosaties (2829m),  tornando este troço muito duro devido ao elevado desnível acumulado  e à tecnicidade encontrada.

Deffeyes
Clica para aumentar
Da entrada no Monte até ao Col Arp (2571m Alt), foram 6Km um pouquito inclinados 1347m D+! Um bom Km vertical… Mas valeu pela “recepção” calorosa dos muitos presentes com os seus Chocalhos e incentivos!

Ao km 11,834 (Youlaz) e após uma descida de 521m, o 1º abastecimento. 5 minutos para comer uns frutos secos, queijo, marmelada, chocolate e coca-cola. Daqui até La Thuile (1458m), uma longa descida de 5,25Km (593m D-). Claro que aqui havia um novo abastecimento, e mais 10 minutos de paragem… O queijo, a marmelada o presunto, os frutos secos a sopinha e desta vez a cervejinha, não podiam ficar lá intactos… De salientar que até Niel (186,69km) encontrei 23 postos de abastecimento. Estes postos estavam recheados de uma ENORME variedade de comida e bebida.

Col Crosaties
Clica para aumentar
Como já estava “farto” de descer, fui presenteado com uma subidita de 9,59km até ao próximo abastecimento situado no Refúgio de Deffeyes (2500m). Este percurso permitiu admirar uma quantidade enorme de riachos de água cristalina resultante do degelo das neves perpétuas. Sede? Não houve. Era só destapar um dos bidões encher e beber. No abastecimento, “abanquei de novo”… Para abreviar, comi e bebi em todos os abastecimentos ao longo do percurso!

Col Haut Pas
Clica para aumentar
Mas os Alpes reservam-nos paisagens e relevos extraordinários. Dali até ao Col Haut Pas (2857m),foi um “saltinho” de 2,8Km e um D+ de 380m. Mais 3,7km de descida até Promoud (2017m, 840m D- e 33,58Km após a partida).

Valgrisenche
Clica para aumentar
De Promoud até ao Col Crosaties, (2829m), são 2,5km e um D+ de 840m!!! Os últimos +- 300m, é uma autentica escalada, que só com as cordas conseguimos chegar lá acima. Paisagem fantástica, descida fantástica “tecnicamente”… Só pedregulhos… Esta descida leva-nos ao Refúgio de Planaval. São 7,23km, mas um D- de 13012m! Depois de percorrer mais 5,5km e um pequeno D+ de 145m, chego ao primeiro Suporte Base de Vida (SBV), ao fim de 48,7km após a partida. Uma ligeira paragem (cerca de 20 minutos), para “jantar”…

Refugio Chalet Epee
Clica para aumentar
Deste SBV até ao próximo (Cogne 102,14km), fui encontrar o troço mais difícil. Mais difícil não só pelas subidas como descidas brutais como a perigosidade de determinados troços. São eles: Col de Fenetre Epee (2366m), Col de Entrelor (3302m) e Col de Loson (3299m). Muito desnível acumulado, e a constante altitude.

Cogne
Clica para aumentar
A distância que separa o SBV de Cogne do Refúgio Chalet Epee (2366m e 700 D+), são 7km. Mas a subida não acaba aqui… São mais 3km até ao Col Fenetre Epee a uma altitude de 2854m. São 500m D+ bem “durinhos”…. Mas se a subida foi “durinha”, que dizer da descida? Foi a mais perigosa que encontrei! Para além da inclinação, era um zig-zag por ali abaixo extremamente perigoso.

Col Entrelor
Clica para aumentar
Uma escorregadela, só parava-mos cerca de 3 km abaixo. Não havia qualquer barreira natural ou artificial que impedisse de “chegarmos muito mais cedo ao fim”. Francamente foi a única vez que tive medo. Mas quase no fim encontrei a Célia Azenha que não se estava a sentir bem fisicamente, e lá fomos os dois até ao Refúgio Rhemes-Notre-Dame (1738m). Foram  1200m (D-). A Célia, porque continuava a não estar bem, tomou (quanto a mim) a decisão mais sábia. Ficou por ali, evitando pôr a sua vida em risco. A minha admiração, Célia Azenha. Não sei se teria coragem de fazer o que fizeste!

Col Leson
Clica para aumentar
Mas estava ainda para vir mais uns “docinhos”…. Após ter petiscado durante 10 minutos em Rhemes-Notre-Dame, aí vai ele rumo ao Col Entrelor situado lá no alto, a 3302m!!!! Foram 1864m (D+) em apenas 5,4km! Durinho, não? Mas continuava muito bem, a moral nem se fala! Aquela subida foi feita com um ritmo que não estava nos meus planos… Foram vários os colegas que passei por ali acima. A descida veio imediatamente a seguir. E foram 9,1kmr até ao Refúgio Eaux Roussee, 1664m Alt, (2348m D-).

Rifugio du Sogno
Clica para aumentar
Tal como o nome indica, este é mesmo um Ultra Trail para “Gigantes”! É que logo a seguir, a organização não quer que nada nos falte e presenteia-nos com mais uma “subidinha” ao Col Loson a 3299m … Foi “apenas” 2148m D+ em 10,6km!!! Imediatamente começa uma descida de 4,35km até chegar ao Refúgio Vittorio Sella (2585m, 715 D-) Nesta descida, pela 1ª vez tive sono, mas após comer mais uma sopinha, coca-cola queijo, frutos e café continuei… E continuei a descer mais uma descida muito técnica até Cogne. Este SBV situa-se à altitude de 1531m. Com isto quero dizer que desde o Col de Leson até aqui, houve um D- de 1768m numa distância de 12,34km!!! E com tudo isto, estava nos 102km após a partida!

Aqui, uma surpresa MUITO AGRADÁVEL: Estava à minha espera o meu grande amigo Pedro Igor. Na descida do Col de Entrelor, teve uma entorse, pondo-o fora do evento. Foi uma ajuda importante!. Não me deixou fazer nada. Preparou toda a minha refeição, não me deixando sequer dar um passo! Até à cama me levou...Obrigado Pedro.

Fenetre_di_Champorcher
Clica para aumentar
A paragem aqui foi maior. Foram cerca de 3 horas, sendo distribuídas da seguinte maneira: 20 minutos para almoçar, 2h20 para dormir e 10+10 minutos preparativos de chegada/partida.

Já “fresquinho” com pouco mais de 2 horas de dormida, aí vou eu iniciar mais uma fase um pouco mais suave…

Bard
Clica para aumentar
Este 3ª troço (mais suave) tem ainda duas dificuldades acrescidas: O Refúgio de Sogno (2534m) e o Col de Fenetre de Comparcher (2827m). De Cogne ao Refúgio de Sogno, são 14,5 km sempre a subir, com D+ de pouco mais de 1000m. Há entre estes dois pontos mais um abastecimento: Goilles. Mas como não nos “permitem andarmos muito tempo cá “por baixo”, continuamos a subir até ao Col Fenetre Comporcher, 2827m. O desnível não é assim tanto. 293m D+ para uma distância de 1,8km. Percorrendo mais 3,3km, encontramos o Refúgio Miserin. 


Estrada Romana Donnas
Clica para aumentar
Continuando o percurso e continuando a descer, encontramos novo Refúgio, este com o nome de Dondena. Nova paragem novo petisco…Mais 5,84km, temos o Refúgio de Camporcher. Para aqui chegar, continuei a descer (suavemente). 741m D-. De Camporcher ao Refúgio de Pontboset, distam 9,2km, havendo um D- de 791m. Deste Refúgio até ao SBV Donnas, (ponto mais baixo de todo o Tór: 330m), vamos encontrar um terrível carrossel. São 9,7km, inimagináveis! Apesar de o desnível ser negativo (460m), este troço é composto por subidas com inclinação como nunca vi e descidas que a maior parte das vezes tinham que se descer de lado… Para dar ainda mais “pica”, este troço é dos mais técnicos do Tór. Chegado aqui depois da hora do almoço, nova paragem desta vez de 3h30 aos 148,73km. 20 Minutos para almoçar, 2h55 para dormir e 15 minutos para preparativos chegada/partida.

Também aqui o Pedro foi uma mais valia indescritível! O Jantar foi servido por ele. Ainda deu para beber uma cerveja comigo.... Obrigado Pedro. Há coisas que não se esquecem e todo este apoio é inesquecível, não há dinheiro que "compre", porque a amizade não tem preço1

Perloz
Clica para aumentar
Novamente “fresquinho” e já prestes a ligar o frontal, lá vou eu Montanha acima. O Refúgio de Perloz situa-se a 333m D+ (663m alt) e 5,1km depois. Daqui até Tour d’Hererz, uma descidinha/plano de 2,86km. O Refúgio de Sassa situa-se 6,3km acima. O D+ para lá chegar são 720m! Continuando a subir (e bastante), encontramos o Refúgio de Coda! Espectacular refúgio bem lá “quase” no alto! Situa-se a 2224m Alt. Mas para aqui chegar, tive que subir um D+ de 920m em 4,7km!, com muita escadaria à mistura. Veio depois a “recompensa” com uma descidasinha de 540m (D-) numa distância de 7km até chegar ao Lago Vagno (1686 Alt.), aqui mais um Refúgio. 10 minutos de paragem, mais uns “comes e bebes” porque a energia que vou ter que despender até ao Col du Marmontana vai ser significativa. Há um D+ em 4km de 700m! Mas se a subida foi bem “puxadinha”, a descida de 1km até ao lago Chiaro não era nada mais fácil… 340m D-.


Rifugio Coda e Monte Rosa
Clica para aumentar
Para chegar ao Col della Vecchia faltam 5 km com o D+ muito baixo (100m), mas extremamente perigoso. Qualquer descuido, acaba-se ao fundo de uma escarpa com 300 ou 400m de fundo. Um trilho com cerca de 1m de largura sem qualquer protecção. Tinha sim do lado contrário à escarpa, uma corda a todo o comprimento para nos segurarmos. Este trilho perigoso tem cerca de 0,6km de comprimento. E para facilitar a “coisa” foi feito durante a madrugada do dia 10, mas a Lua Cheia bem lá no alto, até permitia levar o frontal apagado (mas não o fiz)…


Meu amigo Jorge Serrazina. Col Marmontana
Clica para aumentar
Eis-me chegado ao Refúgio do Col della Vecchia, aos 181km da partida. Mais uma ligeira paragem para uns petiscos e lá vou eu até ao Refúgio seguinte a uma distância de 5,46km com um D- de 611m. Este percurso, apesar de não ter muito desnível (a maior parte era plano), tinha uma descida entre o km 183,700 e o 185, duplamente diabólica! Era diabolicamente inclinada, e diabolicamente técnica e perigosa. Foi neste pequeno troço até ao Refúgio de Niel que ao km 184,5 às 5horas da manhã tive a lesão na cocha direita, impossibilitando-me de continuar. Quando a rotura aconteceu, faltavam 2,2km para chegar a Niel. Eram 7 horas quando consegui chegar lá. Foram precisas 2 horas para percorrer os 2,2km!

SBV de Donnas (150 Km)
Clica para aumentar
Eu já sabia que não poderia continuar, porque as dores eram insuportáveis, mas restava-me ainda uma leve esperança que os paramédicos no Refúgio, fizessem algum “milagre”… Com esse objectivo, acerquei-me deles pedindo para me massajarem (analgésico já tinha tomado). Assim que começaram, logo pararam porque ao colocarem as mãos na cocha, gritei com tanta intensidade, assustando-os… Claro que foram chamar o médico e após alguns instantes o médico deu a “sentença” : Finish. E ainda antes de poder responder, cortou-me a pulseira chip.

Foi um choque enormíssimo, do qual ainda não recuperei na totalidade. Foi o início do dia mais triste da minha vida! Demorei a descrever esta minha aventura (incompleta no Tór des Geants), porque cada vez que começava depressa terminava porque a “coisa ainda sangrava”…


Recepção no Aeroporto!
Clica para aumentar
Regressamos a Portugal no mesmo voo, para além de mim, o Pedro Igor e o Armando Teixeira. Quando ainda estávamos à espera da bagagem, ouvimos um ruidoso conjunto de vozes. Comentei com o Pedro que aquilo era pessoal do Armando que o vinham felicitar pelo seu excelente 18º lugar. Mas quando passamos as barreiras do aeroporto, observamos (eu com lágrimas nos olhos) que havia dois grupos ambos apoiando nós os 3. Foi maravilhoso e uma vez mais, da minha parte comovente. Não acabei o desafio a que me propus, não achava justo esta recepção. Os meus (nossos) amigos acharam por bem fazê-la, foi MARAVILHOSO!

O meu abraço a todos!

Espero para o ano, fazer a descrição completa dos 332,530km do percurso. Não posso morrer. É PROIBIDO MORRER SEM TERMINAR ESTE SONHO!!!





Recepção Aeroporto

Recepção Aeroporto

Descida do Col  della Vecchia Lua Cheia!
Recepção Aeroporto




Col Fenetre Epee

Col Marmontana
Lac du Fond

Recepção Aeroporto do Porto
Rifugio-vittorio-sella



Col de Entrelor (3302m). Rampinha bem lá no cimo feita ao principio da manhã...
Col de Entrelor (3302m).
Col de Crosaties (2829m).
Col de Crosaties (2829m).



Quim Sampaio

1 comentário:

  1. Força companheiro! Gostei de te ler. Tudo muito bem explicadinho! Os meus aplausos!

    ResponderEliminar